artigos

Artigos

Artigos, monografias e textos escritos e inseridos por VOCÊ!

SOBRE ORGANIZAR EVENTOS DE DANÇA CIRCULAR


Publicado em 23/02/2020

Deborah Dubner


O início da minha história como organizadora de rodas, eventos e cursos de Dança Circular nasce da Gratidão. Eu me emocionava tanto nos círculos e em alguns trabalhos, que sentia vontade de compartilhar, queria que mais pessoas conhecessem e sentissem esse bálsamo que me encantava. Queria retribuir. Então pra mim, ser organizador é antes de tudo um ato de generosidade e amor. E claro, que envolve muuuito trabalho e dedicação.

Dentre os muitos motivos que me motivam na organização de cursos e eventos de Dança Circular, um dos principais é interagir com as pessoas. Adoro quando elas vão chegando, se informando, cada uma com perguntas diferentes e muitas vezes inusitadas. Gosto de saber sobre suas motivações, de qual cidade ou estado vem, qual a história que move cada escolha.

Quando organizo de terceiros, além dos meus proprios cursos, adoro ser a ponte entre um trabalho rico e pessoas que não o conhecem. Gosto de ficar mais íntima de quem estou organizando, observando e compreendendo como esta pessoa lida com os vários campos da vida. Criamos laços, tecemos histórias, deixamos memórias.

A escolha do lugar, quando não temos um lugar próprio, é uma das partes mais difíceis, porque envolve muitas variáveis. A interação com os cuidadores do espaço pra mim é fundamental, pois desde aí já se inicia uma troca energética significativa que já vai preparando o campo invisível que faz toda a diferença. Gosto de criar um campo amoroso, e quando as pessoas chegam para o curso já existe algo concreto, embora invisível. Procuro sempre escolher um lugar que preze a beleza, e seja confortável e acolhedor. Também gosto de pensar nas comidinhas saudáveis e saborosas, pois a nutrição também colore o prazer da experiência.

Gosto de aprender sobre a energia do dinheiro nas diversas interações que tenho com cada participante e com o focalizador. Como é a relação com a abundancia e com a escassez, a organização, o fluxo e planejamento, enfim, todas as emoções que invisivelmente costuram e moldam o dinheiro e seu significado em nossas vidas. Aprendo muito!

Outro aspecto que adoro na organização é que, por ser um trabalho de bastidores, pode ser feito em qualquer lugar e a qualquer hora. Assim, consigo conciliar tranquilamente esta tarefa com a vida familiar e viagens. É um trabalho que me permite total mobilidade e liberdade, algo que é essencial na minha escolha de como quero viver a vida.

Frequentemente, a organização de um curso demora mais do que meio ano, desde a idéia até a implementação. Quando finalmente o curso acontece, houve todo um caminho para chegar lá, e é exatamente isso que me encanta: a própria jornada. Como uma legítima taurina, ver a ideia se transformar em ação e ganhar forma me provoca.

A figura do organizador de Danças Circulares é de uma importância e riqueza ímpar. Sem ele, a expansão de cada trabalho ficaria muito limitada. O organizador abre caminhos, planta sementes em lugares improváveis, viabiliza encontros, transformações e curas. Por isso sou muito grata aos organizadores que viabilizam cursos e eventos. Graças a eles, pude conhecer pessoas e trabalhos maravilhosos, de tantas cores e partes do mundo. E um especial agradecimento a todos que organizaram meus cursos em outras cidades, estados, ou mesmo países. Nasceu deste lugar lindas amizades.

Ter a possibilidade de conhecer os dois lados (ser a organizadora em alguns momentos e a focalizadora convidada em outros) é muito especial, porque temos a chance de compreender as duas pontas que fazem as Danças Circulares serem o que são.

No livro que estou escrevendo - A Arte de Focalizar - olho tambem para esses papéis imprescindíveis que fazem a história do nosso movimento. Além do focalizador, os organizadores, os guardiões, os tradutores, os apoios, as pessoas que registram, enfim... Tudo pode ser visto como Arte. Todos os lugares que são ocupados neste grande círculo são essenciais e convidam à manifestar o amor em ação.

Se você é organizador, agradeço e honro o seu ofício.
Se você sente o chamado para ser, apoio e recomendo.
Eu sou. E me realizo sendo.

 


artigos   Artigos do autor

04/12/2014 - A Dança da Abundância

15/12/2014 - A Dança da Espiritualidade

30/04/2016 - A Dança do Nascimento

06/09/2014 - Cidadãos dançantes

20/06/2011 - Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar...

27/08/2015 - Dança Circular e Psicologia

30/11/2015 - Dança Circular Global

30/03/2016 - Dança Circular nos Parques: exercício de Cidadania

20/03/2014 - Dançando a missão

26/11/2015 - Dançar e Agradecer

04/09/2013 - Danças Circulares e Comunicação

18/02/2013 - Danças Circulares e o Sagrado: ponto de chegada e de partida

10/06/2013 - Danças Circulares para Crianças: relato de experiências

23/04/2011 - Minha primeira Dança Circular Sagrada

01/03/2015 - Modalidades de Ensino-Aprendizagem nas rodas de Dança Circular Sagrada

21/05/2014 - No descompasso da Dança

23/10/2013 - Um lugar tão delicado